Sobre relacionamentos.

Eu estou encarando esse quadrilátero branco e cinza mais tempo do que o normal. Me pediram pra tentar rascunhar algo sobre relacionamentos/amor e a única coisa que eu consigo pensar é o quão frustantes relacionamentos podem ser apenas por esse título. Re-la-ci-o-na-men-to. Na-mo-ro. Puts, que complicado. Mas, depois de vários desta espécie frustados e uns bons tombos de vida real, eu consegui teorizar algumas coisas e aplicá-las a vida real.

Mas voltando um pouco ao fato principal deste texto, é tão difícil escrever sobre relacionamentos quando os meus sempre foram fadados ao fracasso. Eu sempre gostei de dar nomes aos bois e ter títulos para tudo, desde “A melhor torta de banana do mundo” até “meu computador favorito”, “meu tênis amarelo”e “minha garrafa d’água”. Sempre achei mais fácil quando as coisas tinham nomes e, de tal forma, eu poderia buscar essas coisas no meu cérebro com mais facilidade. Não. Da mesma forma que não existe a melhor torta de banana do mundo porque eu nunca comi todas as tortas de banana do mundo, não existe o melhor namorado do mundo pelo simples fato de você não conhecer todo mundo. Existe o melhor namorado pra você. Existe o namorado. Existe aquela pessoa que você quer dividir tudo o que você vive. Existe ele. Existe você.

Descobri, então, que pessoas são pessoas e elas continuam pessoas mesmo que você tenha um relacionamento com elas. Só porque você conheceu alguém legal, você se envolveu com esse alguém, não quer dizer que você tem total e completa posse da pessoa. E, caso haja interesse de ambas as partes de ter um relacionamento, vou te contar um segredo: ninguém é dono de ninguém.

Ao mesmo tempo, cuide. Não é só porque você detém a posse da outra pessoa que ela é alguém menos do que ela deveria ser para você. Você deve cuidar da pessoa em que você tem interesse porque ela é uma pessoa. Uma pessoa que você ama e quer ao lado.

Não estou aqui para banalizar relações humanas, mas pra tentar fazer vocês entenderem-as com mais leveza. Tentar trazer um pouco mais de calmaria para as relações de vocês. Ei, calma. Não troquem as mãos pelos pés, não queiram possuir pessoas.

Porque, a vida, a gente anda lado a lado.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s