Escapismo em sua forma literária

Para uma guria que veio do interior com seus 14 anos de idade, nascida da literatura de Monteiro Lobato com uma mistura excêntrica de versículos longos da Bíblia na tradução de Almeida Antiga, a escrita sempre teve um “quê” de importância na minha vida. Enquanto enfrentava a cidade grande com o coração na mão e toda a coragem que eu tinha estampada no meu rosto, eu escondia diários que contavam a não tão doce verdade sobre a Capital e que, também, diriam a maravilhosa verdade sobre o Mundo. Diários que hoje me transformariam em uma super heroína se houvesse uma fusão da Marvel com a DC ou talvez uma personagem de um pseudo-crossover de Amy-Sherman Palladino e Shonda Rhimes – que ironia!.

Continue lendo